VIII Prêmio Zumbi de Cultura

Cia Baobá Minas e Grupos Culturais na Comemoração da Consciência Negra refletem sobre a diversidade, negritude e homenageia cidadãos



A Companhia Baobá Minas desenvolve várias atividades na cidade de Belo Horizonte, sobretudo na Comemoração da Consciência Negra através do Prêmio Zumbi de Cultura.

Cia Baobá minas, por Paulo Walter Silva
Cia Baobá minas, por Paulo Walter Silva

O projeto é idealizado por Júnia Bertolino (Cia Baobá Minas) e o Prêmio é confeccionado pelo artista plástico Jorge dos Anjos que conta com vários parceiros e o apoio do poder público.  Pensar a ocupação cultural, o fazer artístico, a troca entre os artistas para buscar ações que contemplem o fortalecimento, a reflexão e visibilidade da cultura afro brasileira tem sido a prioridade do Prêmio Zumbi de Cultura. No dia 22 de novembro às 19h no grande teatro acontecerá o VIII Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas e a Comemoração da Consciência Negra, premiando as personalidades de 2017 no Sesc Palladim. As atividades são diversas: Exibição de documentário, roda de conversa, shows e a solenidade da entrega do Prêmio Zumbi 2017.  As ações do Prêmio acontecem também no dia 23 de novembro às 19h30 no Gerdau – Museu das Minas e do Metal. Grandes artistas como Mestre Conga, Coral  Brasil African Vozes, Sérgio Pererê, Alameda Musical e Cia Baobá Minas.  No dia  29/11 às 16h no auditório José de Alencar na Assembleia legislativa, Roda de conversa: Diálogos e Reflexões – homenageados do Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas na Comemoração da Consciência.

Junia Bertolino

Este ano, com um formato diferente, terá cobrança de ingresso a preço popular (R$ 2,00) no Sesc palladium. O prêmio Zumbi de Cultura, além de entregar a estatueta e homenagear os premiados de 2017 terá um show maior com o músico, cantor, compositor e multi-instrumentista Sérgio Pererê, que é um intérprete de timbre peculiar, melódico e potente. Além disto um artista versátil com diversas apresentações e participações no cenário artístico mineiro e nacional, seja no cinema, teatro e música. Este ano lançou o  CD  Aparecida, reinos Negros.

Sérgio Pererê – Crédito Pedro Furtado

Além disso, outras contribuições artísticas importantes como do sambista e compositor mestre Conga – Guardião do Samba em BH, aos 90 anos, recebeu o Prêmio zumbi de cultura em 2011 na categoria honra ao mérito. José Luiz Lourenço – Mestre Conga, desde 1950 começou a luta pela valorização do carnaval em BH, com a criação da Escola de samba Concórdia Unida, que mais tarde passou a chamar Inconfidência Mineira, também foi um dos fundadores Faculdade do Samba. Além de CD gravado “Meu samba e minha voz”, Mestre Conga é integrante da velha Guarda do Samba em BH.

Mestre Conga
Mestre Conga – Divulgação

Coral Brasil African Vozes sob a regência de Mamour Ba. O estilo do grupo vocal passa pela história da música brasileira e, também, pelas tradições do continente africano e das vozes dos escravos que fizeram parte e influenciaram a música americana, em especial o jazz e blue. O Coral foi formado há dois anos pelo compositor, arranjador, multi-instrumentista, maestro e diretor senegalês Mamour Ba. Tem como finalidade difundir as expressões vocais, que conta a história das vozes provenientes da África, com suas tradições milenares.

Mamour Ba.
Mamour Ba. – Divulgação

A Companhia Baobá Minas, criada em 1999, realizadora deste evento se apresenta também trazendo a dança negra inspirada com inspiração nos ritmos como Soly, Yamama e  Mendiani, do oeste da África.  O objetivo da companhia é   abordar o cotidiano do negro, a cultura, ritmos, poesia e dança afro-brasileira e do povo africano no intuito de trazer a público uma imagem do negro em toda sua beleza e altivez. Além disto, mostrar a cultura popular das diversas comunidades do território nacional e africano ressaltando valores e temáticas importantes nesta cultura como a oralidade, memória, ancestralidade e identidade, sobretudo notório saber dos mestres populares e a valorização da cultura de matriz africana.

No dia, 23/11 (quinta) às 19h30 no Museu das   Minas e  do  Metal, a  entrada  é  gratuita e  todos  podem aproveitar  para  refletir  sobre  o  trabalho  de  duas  mestras  populares: Mãe  Efigênia e  Arabela  Gonçalves .  Mametu  Muiandê, conhecida como mãe Efigênia, ela é a   matriarca e  a  mãe  de  santo responsável pelo Terreiro Manzo Ngunzo  Kaiango,  nação de  angola. O   espaço também é reconhecido   como Quilombo Manzo Ngunzo Kaiango , além  da  religiosidade, conta  com   projeto Kizomba  que  atende  crianças  e  jovens  com  a  capoeira, dança afro  e  percussão.   Arabela Arimathea das Chagas Gonçalves  é  carnavalesca do Grêmio Recreativo Escola de samba Acadêmico  de venda Nova, também faz parte da família fundadora  desta escola. Ela também   confecciona todas as  fantasias da Escola.  Ganhou  o  prêmio  zumbi de  cultura  na  categoria manifestação  cultural. Vem no  carnaval  de  Belo Horizonte  acumulando  títulos, inclusive  de  campeã.

Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, que recebe o VIII Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas – Comemoração do Mês da Consciência Negra, no dia 29/11  às  16h  no  auditório: José  de  Alencar. O objetivo é promover diálogos e reflexões com a roda de conversa:  Homenageados do Prêmio Zumbi de cultura. Sobretudo,  a  oportunidade  de levar  artistas  e  mestres  populares  no  espaço  de  debate  político, construção  e  implementação de  políticas  públicas  para  a  comunidade  negra, reforçando  a  importância de  valorização da  cultura e  da  arte  negra do  povo  brasileiro.

A Cia. Baobá Minas além da parceria com o Sesc Palladium, Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, Gerdau – Museu das Minas e do Metal, Secretaria Municipal de Cultura e Coordenaria Municipal da Promoção da igualdade Racial para realização do evento. Este encontro é fruto da parceria da Cia Baobá Minas, mestres populares, artistas e grupos culturais, por isto vêm acontecendo há oito anos. O Prêmio Zumbi de Cultura vem sendo entregue a onze pessoas que se destacaram nos campos das artes, da política e da cultura negra, em Minas e no Brasil. As entidades e grupos culturais indicaram   03 (três) nomes de pessoas para concorrer ao Prêmio Zumbi de Cultura. Para isto, o prêmio é distribuído nas seguintes categorias: dança, teatro, música, religiosidade, literatura, educação, manifestação cultural, personalidade negra, menção honrosa, protagonismo juvenil e atuação política.              .

A Cia Baobá Minas   ressalta a importância desta parceria com os artistas de Minas e grupos culturais além de ser uma iniciativa que valoriza e fortalece ações culturais na cidade de Belo Horizonte. Assim aguardo sua participação na Comemoração da Consciência Negra no VIII Prêmio Zumbi de Cultura. Ressaltamos a relevante contribuição nesta data de reflexão e comemoração pela luta e resistência de Zumbi de Palmares e de todos brasileiros, sobretudo de negros deste país.


PROGRAMAÇÃO

Abertura do VIII Prêmio Zumbi de Cultura pela Cia Baobá Minas.  

Quarta, 22 de novembro – 19h

Grande Teatro do  Sesc Palladium – Rua Rio de Janeiro, 1046 – Centro

Atrações:

*Exibição do Vídeo: Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas

Saudação aos ancestrais

Solenidade do VIII Prêmio Zumbi de Cultura

Shows: Mestre Conga, Coral  Brasil African Vozes,  Sérgio Pererê e Cia Baobá Minas.                                                                                                                                                                                                   ­

Quinta-feira, 23 de novembro – 19h30

Gerdau – Museu das Minas e do Metal­ – Praça da  Liberdade s/n – Funcionários

Atrações:

Roda de Conversa – Ações cultura, Religiosidade e legado ancestral: resistência!

Convidados:

Arabela Gonçalves (G.R.E.S Acadêmicos da Venda Nova)

Mãe Efigênia – Mametu Muiandê (Quilombo Manzo Ngunzo Kaiango)

Mediadora:  Júnia Bertolino, (Idealizadora do Prêmio Zumbi de Cultura./ Diretora e coreógrafa da Cia Baobá Minas

Performance:   Cia Baobá Minas e   Alameda Musical.

Quarta-feira, 29 de novembro – 16h

Auditório: José de Alencar na Assembleia Legislativa –  R. Rodrigues Caldas, 30 – Santo Agostinho

VIII Prêmio Zumbi de Cultura – Cia Baobá Minas – Comemoração do mês da Consciência Negra

Roda de conversa: Diálogos e reflexão – homenageados do Prêmio Zumbi de Cultura.

 Serviço:

Sesc  Palladium –   Ingresso  R$      2,00

Gerdau – Museu das Minas e do Metal:  Entrada   (Gratuito)

VIII Prêmio Zumbi de Cultura  – Cia Baobá Minas  –  Comemoração da Consciência Negra

Realização: Cia Baobá Minas.

 

“Que a água seja refrescante. Que o caminho seja suave. Que a casa seja hospitaleira. Que o Mensageiro conduza em paz nossa Palavra.” Benção Yoruba

Mais informações:

Júnia Bertolino, Idealizadora do Prêmio Zumbi de Cultura./ Diretora e coreógrafa da Cia Baobá Minas –  (31) 9917-6762/98819-8300.

premiozumbibaoba@gmail.com

baoba.danca@gmail.com / juniabertolino@yahoo.com.br

Blog do Prêmio Zumbi de Cultura: premiozumbidecultura.blogspot.com.br

Página no Facebookhttps://www.facebook.com/ciabaobaminas

Página no Facebookhttps://www.facebook.com/baobabaoba

Página no Facebookhttps://www.facebook.com/premiozumbideculturabh

Site Companhia Baobá: CIA. BAOBÁ DE DANÇA – MINAS – BRASIL