SERRA DO CARAÇA, patrimônio cultural e religioso

SERRA DO CARAÇA, patrimônio cultural e religioso pertencente à Província Brasileira da Congregação da Missão – PBCM


 

Por Ismayr Sérgio Cláudio.(1)

Apresentação:

Através de duas Carta Circulares, a Comissão Pontifícia Para os Bens Culturais da Igreja Católica demonstrou a sua atenção, o seu cuidado e seu zelo para com a dimensão cultural e patrimonial das comunidades, ao orientar às Arquidioceses, Dioceses, Congregações Religiosas, Ordens Religiosas e Institutos de Vida Consagrada sobre a importância da “inventariação e catalogação dos bens culturais pertencentes a entidades e instituições eclesiásticas, com o fim de tutelar e avaliar o enorme patrimônio histórico-artístico da Igreja” (Carta Circular: Sobre a necessidade e urgência da inventariação e catalogação dos culturais da Igreja, pág.1).

Ao indicar a constituição do patrimônio cultural-artístico da Igreja, a Comissão Pontifícia Para os Bens Culturais da Igreja, descreve-os como “obras de arquitetura, pintura, além de paramentos, utensílios sacros, vestes litúrgicas, instrumentos musicais, etc.” e, os relacionam ao “rosto criativo da comunidade cristã”. Lembra ainda a referida Comissão Pontifícia que esse rico patrimônio cultural é fruto do culto, da catequese, da caridade e da cultura que “modelaram o ambiente no qual a comunidade dos fiéis aprende e vive a própria fé” (Carta Circular: Sobre a necessidade e urgência da inventariação e catalogação dos culturais da Igreja, pág.1).

E, aos superiores e superioras das Congregações, Ordens e Institutos de Vida Consagrada, a Comissão Pontifícia Para os Bens Culturais da Igreja ampliou a descrição de patrimônio cultural-artístico-histórico:

“Como é bem conhecido, os bens culturais custodiados pelos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica constituem uma porcentagem muito relevante do grande patrimônio histórico-artístico da Igreja. Esses bens compreendem “os patrimônios artísticos da pintura, da escultura, da arquitetura, do mosaico e da música, funcionam ao serviço da missão da Igreja. Além disso, acrescenta-se os livros que estão nas bibliotecas eclesiásticas e os documentos históricos conservados nos arquivos das comunidades eclesiais. (João Paulo II, Alocução aos membros da Pontifícia Comissão para os Bens Culturais da Igreja, por ocasião da Assembleia Plenária, em 12 de outubro de 1995, n ° 3: em “L’Osservatore Romano. Edição Semanal em Língua Espanhola”, 20 de outubro de 1995, pág. 12)” (Carta Circular: Inventário dos bens culturais dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica: algumas orientações, pág.1).

No âmbito da Província Brasileira da Congregação da Missão – PBCM, o patrimônio artístico-cultural-religioso tem recebido toda a atenção e cuidado, oriundos da plena consciência de o mesmo ser patrimônio dos pobres, conforme ensino e espiritualidade de seu fundador São Vicente de Paulo. Patrimônio esse que foi se constituindo ao longo dos últimos 197 anos de missão em terras brasileiras, quando a PBCM foi conservando-o e disponibilizando-o ao serviço da Evangelização, da Educação e da Cultura.

Breve histórico da PBCM:

A Província Brasileira da Congregação da Missão – PBCM se faz presente no Brasil desde o dia 7 de dezembro de 1819, quando chegaram ao Rio de Janeiro os dois primeiros padres Lazaristas – Leandro Rebelo Peixoto e Castro e Antônio Ferreira Viçoso, este último se tornou o 7º Arcebispo da Arquidiocese de Mariana – MG, hoje em processo de canonização pelo Vaticano (Já beatificado).

Só por esta razão já seria compreensível a existência e a multiplicidade dos bens culturais e materiais sob posse e guarda da Província, mais ainda, durante estes 197 anos de presença no Brasil, a PBCM prestou importantes serviços pastorais, sociais, culturais e educacionais em diversas cidades e estados brasileiros, o que a fez detentora de grande e rico patrimônio cultural. Um exemplo de preservação do seu patrimônio é o Santuário/Reserva Particular do Patrimônio/Colégio do Caraça, em Minas Gerais – http://www.santuariodocaraca.com.br.

A Província Brasileira da Congregação da Missão (PBCM) é uma instituição católica, composta por homens consagrados (Padres e Irmãos) ao serviço missionário dos pobres. É parte da Congregação da Missão, Sociedade de Vida Apostólica fundada por São Vicente de Paulo no século XVII, na França.

No Brasil, a Congregação da Missão possui três Províncias: Província Brasileira da Congregação da Missão (PBCM), com sede no Rio de Janeiro-RJ; Província do Sul, com sede em Curitiba-PR; Província de Fortaleza, com sede em Fortaleza – CE.

Sob o aspecto jurídico, é a união de diversas casas da Congregação da Missão dentro de determinados limites territoriais. É coordenada por um Superior Provincial, chamado Visitador, com a ajuda de um Conselho Provincial. Em conformidade com o Direito Canônico da Igreja Católica e com as Constituições e Estatutos da Congregação da Missão, tem jurisdição ordinária e própria. Seus membros são Padres e Irmãos.

A sede da PBCM está localizada à Rua Cosme Velho, 241, Rio de Janeiro. Suas casas e comunidades estão situadas nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Distrito Federal e Rondônia. Alguns de seus membros prestam serviços em outros estados e países.

Reconhecendo esta riqueza histórica, cultural e religiosa do patrimônio cultural e religioso da Província Brasileira da Congregação da Missão – PBCM, seu incomensurável valor para as comunidades nas quais a PBCM atua, para os turistas e romeiros (nacionais e internacionais) que visitam o Santuário do Caraça – MG, para os alunos do Colégio São Vicente de Paulo – Rio de Janeiro, para os estudantes das inúmeras escolas públicas e privadas que desenvolvem suas atividades pedagógicas e de campo no Santuário do Caraça, para os padres e irmãos da PBCM e para todo o povo brasileiro, justifica-se mapear, catalogar e publicar catálogo desse rico patrimônio, tornando-o conhecido, reconhecido e estudado, salvaguardando-o para as gerações futuras.

O patrimônio artístico-cultural-religioso do Santuário do Caraça:

O Santuário Neogótico de Nossa Senhora Mãe dos Homens

Santuário de Nossa Senhora Mãe dos Homens e conjunto arquitetônico da Serra do Caraça.

Renato Weil 2015– Santuário de Nossa Senhora Mãe dos Homens e conjunto arquitetônico da Serra do Caraça.

O Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens foi construído pelo Padre Clavelin, então superior do caraça (1867-1885), em estilo neogótico, seguindo o estilo francês, com material local, no lugar onde se erguia a pequena Ermida construída pelo fundador do Caraça, Irmão Lourenço.

Foram sete anos de construção, sendo consagrado no dia 27 de maio de 1883.

Um dos grandes orgulhos do Padres Lazaristas é que o Santuário do Caraça foi construída sem mão-de-obra escrava e todo com matéria prima da região: pedra sabão (retirada do próprio terreno do Caraça, de perto da Cascatona), mármore (das cidades de Mariana e Itabirito) e quartzito (da região do Caraça e vizinhanças), unidas com um produto a base de cal, pó de pedra e óleo.

Interior da Igreja: estilo neogótico em confronto com o barroco.

Interior da Igreja: estilo neogótico em confronto com o barroco.

Construiu-se, assim, a primeira igreja neogótica do Brasil: toda ela desenhada, projetada e edificada por um Padre da Missão, na Serra do Caraça.

FONTE: http://www.santuariodocaraca.com.br


O Arquivo histórico do Santuário do Caraça

Relíquia Caraça

À esquerda: D. Pedro II e D. Tereza Cristina, em trajes especiais para a visita a Mina de Ouro do Morro Velho.
À direita: Documento de autenticação da Relíquia de São Pio Mártir, firmado em Roma, no dia 9 de junho de 1792.
FONTE: http://www.santuariodocaraca.com.br

O documento mais antigo existente no arquivo histórico do Caraça data de 1766, uma patente da Coroa Portuguesa autorizando o irmão Lourenço a esmolar (pedir esmolas). São mais de 18.000 documentos textuais e 4.500 fotos.


A Biblioteca do Santuário do Caraça

Biblioteca do Santuário do Caraça

Biblioteca do Santuário do Caraça

A 12 de abril de 1881, em visita ao Colégio do Caraça, D. Pedro II reconheceu sua biblioteca como uma das mais importantes do império.

Dos mais de 80.000 visitantes por ano no Caraça, uns 15.000 visitam a biblioteca e uns 3.000 querem conhecer melhor o acervo.

Hoje a biblioteca conta com 25.000 livros. O arquivo histórico com 18.000 documentos textuais e 4.500 fotos. O acervo se encontra disponível para as comunidades do entorno e pesquisadores interessados.


O livro mais antigo da Biblioteca do Caraça. 

PLÍNIO, O Velho. Historia naturale. Trad. Christophoro Landino. Veneza: Bartolomio Zani de Portesio, 1489.

Plínio o Velho

“É um incunábulo (do latim incunabulus = berço, nascimento), isto é, uma obra editada por ocasião da invenção da imprensa por Gutenberg, entre 1450 a 1500. Edição traduzida do latim para o fiorentino. Plínio era escritor, historiador e naturalista. Morreu na erupção do Vesúvio, salvando vidas. Deixou vários escritos. “Historia naturale” foi o único que chegou até nossos dias. É considerada a primeira obra enciclopédica”.

FONTE: http://www.santuariodocaraca.com.br/biblioteca/curiosidades-do-acervo/


O museu do Santuário do Caraça

O museu do Santuário do Caraça

FONTE: http://www.santuariodocaraca.com.br

O museu do Santuário do Caraça está instalado no prédio onde funcionou o antigo Colégio e Seminário do Caraça, incendiado em 1968, restaurado posteriormente.

Seu acervo é composto de peças de mobiliário e artefatos diversos de uso diário, pertencentes ao próprio Caraça, alguns remanescentes de séculos anteriores, constitui um interessante lugar de visitação, diariamente procurado pelos hóspedes e visitantes, através de percursos guiados pelos monitores ou por conta própria.

Está organizado em “Museu do Colégio”, “Museu Sacro” e “Pinacoteca”.

Museu do Colégio
Museu do Colégio
Museu Sacro
Museu Sacro
Pinacoteca
Pinacoteca

 

 

 

 

 


Considerações finais:

Como se depreende ao apresentar alguns exemplos do patrimônio artístico-cultural-religioso-histórico da Província Brasileira da Congregação da Missão, verifica-se que a Igreja, através de suas Arquidioceses, Dioceses, Prelazias, Paróquias, Curatos, Congregações, Ordens Religiosas e Sociedades de Vida Apostólicas, tem sob sua guarda e seu cuidado rico e imenso patrimônio.

E ainda, não se pode deixar de reafirmar que, ao longo do tempo, a Igreja “favoreceu em todas as épocas o desenvolvimento das artes liberais e promoveu o cuidado de tudo aquilo que foi criado para o cumprimento de sua missão evangelizador” (Carta Circular: Sobre a necessidade e urgência da inventariação e catalogação dos culturais da Igreja, p. 25), além de se utilizar desse rico patrimônio como instrumento pedagógico para a evangelização, o desenvolvimento cultural das comunidades eclesiais e de educação para os povos.

Portanto, ao inventariar e catalogar os bens culturais pertencentes à Igreja, para além da finalidade de preservação e gerenciamento, o que se efetiva é a organização e disponibilização das informações, a transformação das informações em conhecimento, a valorização dos bens culturais, bem como, a preservação e disponibilização desses bens através das novas tecnologias da informação e de comunicação.

Parafraseando São Vicente de Paulo, fundador da Congregação da Missão e das Filhas da Caridades que motivou a seus missionários a “anunciar Jesus Cristo com a força dos braços e o suor do rosto”, podemos anunciar Jesus Cristo e o Reino de Deus através desse imenso patrimônio artístico-cultural-religioso-histórico, fruto da criatividade, da razão, da fé e do suor de tantos (as) homens e mulheres que o produziram e o conservaram ao longo da história da humanidade.

 

Referências bibliográficas: 
  1. Carta Circular: Sobre a necessidade e urgência da inventariação e catalogação dos culturais da Igreja (08/12/1999)

http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/cultr/documents/rc_pc_cultr_doc_06121999_documents_po.html (Consulta realizada em 08/05/2016).

  1. Carta Circular: Inventário dos bens culturais dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica: algumas orientações (15/09/2006)

http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/cultr/documents/rc_pc_cultr_doc_06121999_documents_po.html (Consulta realizada em 08/05/2016).

  1. HISTÓRIA DA CONGREGAÇÃO DA MISSÃO NO BRASIL.

http://www.santuariodocaraca.com.br/ (Consulta realizada em 08/11/2016).

 

(1) Ismayr Sérgio Cláudio

Ismayr Sérgio CláudioFilósofo pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Teólogo pela Universidade Católica Dom Bosco – MS; Especialização em Teologia: Projetos Culturais em ênfase Pastoral da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Graduando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Mestre em Administração Pública – Gestão de Políticas Sociais, pela Escola de Governo da Fundação João Pinheiro – MG; Membro sócio da SOTER – Sociedade de Teologia e Ciência da Religião; Membro sócio da Associação Brasileira de Parapsicologia e Ciências da Mente – ABPCM; Escritor; Contato: ismayr2012@gmail.com.