Orquestra Sinfônica de Betim celebra a música lírica em concerto




Sob a regência do maestro Márcio Miranda Pontes a Orquestra Sinfônica de Betim celebra a música lírica em concerto, às 20h do dia 14 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Belo Horizonte. O repertório traz obras do compositor e regente alemão Richard Strauss, do italiano Gioachino Rossini, do francês Georges Bizet e do austríaco Wolfgang Mozart. O concerto conta com duas participações especiais: do soprano Fernanda de Araújo e do Coral Unimed-BH. Segundo o maestro Márcio Miranda Pontes, idealizador da Sociedade Artística Brasileira, a solista é uma jovem musicista belorizontina muito talentosa e com grande experiência internacional radicada atualmente na Itália. Os projetos culturais têm patrocínio do Instituto Unimed-BH, viabilizado pelo incentivo de médicos cooperados e colaboradores por meio da Lei Federal de Incentivo a Cultura.

Fernanda de Araújo

Fernanda de Araújo – Divulgação

 

Fernanda de Araujo nasceu em Belo Horizonte em uma família de professores. Desde a mais tenra idade ela aprendeu a apreciar a música clássica, especialmente a música lírica. Depois de estudar canto e teatro no Centro de Formação Artística do Palácio das Artes e licenciatura na Universidade do Estado de Minas Gerais, Fernanda continuou seus estudos de canto no Conservatório Benedetto Marcello em Veneza, onde terminou com sucesso o Biennio no outono de 2015. Ela ganhou a bolsa para participar do programa Erasmus-Traineeship (2015/2016) na Hochschule für Musik und Theater em Munique.

Fernanda de Araujo ganhou o concurso BDMG para jovens músicos em 2010 e o Concurso Nacional de Música da cidade de Sacco Piove em 2017. Atuou nas premiéres de “Aura” e “Il gioco del vento e della luna” de Luca Mosca, “Il ritorno dei Chironomidi” e “Atlas 101” de Giovanni Mancuso e colabora freqüentemente com compositores contemporâneos em todo o mundo. Como parte do repertório tradicional operístico, ela interpretou papéis como Fiordiligi, Madame Silberklang, primeira Dama (The Flute) e Maria (West Side Story). Realizou em concertos e shows em teatros e salas, como o Grande Teatro do Palácio das Artes (Belo Horizonte), o Teatro Malibran (Veneza), o Teatro Comunale di Treviso, Loisachhalle (Baviera).

O concerto é aberto ao público de todas as idades. De acordo com Pontes, será uma ótima oportunidade para reunir os familiares e amigos para um momento único. “Para este concerto incluímos novas obras musicais e procuramos, além do repertório lírico, relembrar músicas natalinas tradicionais com a participação do Coral Unimed-BH.”

O maestro explica que o objetivo da Orquestra Sinfônica de Betim é o de promover a vivência do repertório sinfônico aos jovens músicos integrantes da Orquestra, além de disponibilizar ao público em geral um espetáculo virtuoso: “Por meio da ‘Oficina Musical’, escola de música que fomenta o ensino prático e teórico de música a crianças e jovens de Betim, nossa meta é levar o tema ao maior número possível de pessoas”, afirma. 

Sobre a Orquestra Sinfônica de Betim

A Orquestra Sinfônica de Betim é um projeto da SABRA que surgiu em 2014 como uma Orquestra de Câmara, composta somente por instrumentos da família das cordas. No ano seguinte, a formação sinfônica teve início com a abertura de vagas para os outros naipes.

O projeto beneficia 74 jovens músicos e estimula a profissionalização deles por meio de bolsas de incentivo e da formação técnica e artística. Desde a sua fundação, a Orquestra já empreendeu centenas de concertos e atingiu mais de 60 mil pessoas, entre público e artistas.

Coral Unimed-BH

Formado por pessoas da comunidade em geral, o Coral Unimed-BH promove a integração entre participantes e contribui para a promoção da saúde, por meio de uma atividade artística que proporciona cultura e lazer à comunidade. O grupo, de mais de 50 pessoas, apresenta-se voluntariamente em escolas públicas, hospitais e espaços culturais da região metropolitana de Belo Horizonte, disseminando a música coral erudita e popular.

Sobre a SABRA

Sob a regência do maestro Márcio Miranda Pontes a Orquestra Sinfônica de Betim celebra a música lírica em concerto, às 20h do dia 14 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Belo Horizonte. O repertório traz obras do compositor e regente alemão Richard Strauss, do italiano Gioachino Rossini, do francês Georges Bizet e do austríaco Wolfgang Mozart. O concerto conta com duas participações especiais: do soprano Fernanda de Araújo e do Coral Unimed-BH.

Fernanda de Araújo – Divulgação

Segundo o maestro Márcio Miranda Pontes, idealizador da Sociedade Artística Brasileira, a solista é uma jovem musicista belorizontina muito talentosa e com grande experiência internacional radicada atualmente na Itália. Os projetos culturais têm patrocínio do Instituto Unimed-BH, viabilizado pelo incentivo de médicos cooperados e colaboradores por meio da Lei Federal de Incentivo a Cultura.

Fernanda de Araujo nasceu em Belo Horizonte em uma família de professores. Desde a mais tenra idade ela aprendeu a apreciar a música clássica, especialmente a música lírica. Depois de estudar canto e teatro no Centro de Formação Artística do Palácio das Artes e licenciatura na Universidade do Estado de Minas Gerais, Fernanda continuou seus estudos de canto no Conservatório Benedetto Marcello em Veneza, onde terminou com sucesso o Biennio no outono de 2015. Ela ganhou a bolsa para participar do programa Erasmus-Traineeship (2015/2016) na Hochschule für Musik und Theater em Munique.

Fernanda de Araujo ganhou o concurso BDMG para jovens músicos em 2010 e o Concurso Nacional de Música da cidade de Sacco Piove em 2017. Atuou nas premiéres de “Aura” e “Il gioco del vento e della luna” de Luca Mosca, “Il ritorno dei Chironomidi” e “Atlas 101” de Giovanni Mancuso e colabora freqüentemente com compositores contemporâneos em todo o mundo. Como parte do repertório tradicional operístico, ela interpretou papéis como Fiordiligi, Madame Silberklang, primeira Dama (The Flute) e Maria (West Side Story). Realizou em concertos e shows em teatros e salas, como o Grande Teatro do Palácio das Artes (Belo Horizonte), o Teatro Malibran (Veneza), o Teatro Comunale di Treviso, Loisachhalle (Baviera).

O concerto é aberto ao público de todas as idades. De acordo com Pontes, será uma ótima oportunidade para reunir os familiares e amigos para um momento único. “Para este concerto incluímos novas obras musicais e procuramos, além do repertório lírico, relembrar músicas natalinas tradicionais com a participação do Coral Unimed-BH.”

O maestro explica que o objetivo da Orquestra Sinfônica de Betim é o de promover a vivência do repertório sinfônico aos jovens músicos integrantes da Orquestra, além de disponibilizar ao público em geral um espetáculo virtuoso: “Por meio da ‘Oficina Musical’, escola de música que fomenta o ensino prático e teórico de música a crianças e jovens de Betim, nossa meta é levar o tema ao maior número possível de pessoas”, afirma. 

Sobre a Orquestra Sinfônica de Betim

A Orquestra Sinfônica de Betim é um projeto da SABRA que surgiu em 2014 como uma Orquestra de Câmara, composta somente por instrumentos da família das cordas. No ano seguinte, a formação sinfônica teve início com a abertura de vagas para os outros naipes.

O projeto beneficia 74 jovens músicos e estimula a profissionalização deles por meio de bolsas de incentivo e da formação técnica e artística. Desde a sua fundação, a Orquestra já empreendeu centenas de concertos e atingiu mais de 60 mil pessoas, entre público e artistas.

Coral Unimed-BH

Formado por pessoas da comunidade em geral, o Coral Unimed-BH promove a integração entre participantes e contribui para a promoção da saúde, por meio de uma atividade artística que proporciona cultura e lazer à comunidade. O grupo, de mais de 50 pessoas, apresenta-se voluntariamente em escolas públicas, hospitais e espaços culturais da região metropolitana de Belo Horizonte, disseminando a música coral erudita e popular.

Sobre a SABRA

A Sociedade Artística Brasileira (SABRA) é uma associação civil, sem fins lucrativos, fundada em 2013, em Belo Horizonte tendo sua sede atualmente em Betim, Minas Gerais. A organização realiza diversas ações, como a edição de manuscritos musicais antigos, e mantém a Orquestra Sinfônica de Betim, a Oficina Musical de Betim (que é uma escola de música), o Coro e Orquestra de Câmara Lobo de Mesquita e grupos de corais adultos e infantis tanto em Belo Horizonte quanto em Betim. Atua no ensino e na profissionalização da música sinfônica, de câmara e coral, focando suas atividades principalmente em crianças, adolescentes e jovens de maior vulnerabilidade social – apesar de haver também turmas adultas.

A instituição possui projeto registrado no Conselho Municipal de Assistência Social de Betim e é mantida por meio de doações e patrocínios, que auxiliam na inclusão social gratuita e continuada por meio de ações de proteção, inclusão e integração social dos alunos e participantes.

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH foi criado em 2003 com a missão de conduzir o programa de Responsabilidade Social Cooperativista da Unimed-BH. Os projetos desenvolvidos têm na saúde sua área prioritária, mas mantêm interface com outros campos por meio de cinco linhas de ação: Comunidade, Meio ambiente, Voluntariado, Adoção de espaços públicos e Cultura.

Em 2016, mais de 1,4 milhão de pessoas foram beneficiadas, direta e indiretamente, pelo Programa Cultural Unimed-BH. Mais de 4,5 mil médicos cooperados e colaboradores viabilizam este Programa ao escolher destinar parte do seu Imposto de Renda para o fomento de projetos socioculturais.

Orquestra Sinfônica de Betim se apresenta no CCBB

Data: 14 de dezembro, quinta-feira

Horário: 20h00

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – Praça da Liberdade, 450 – Funcionários, Belo Horizonte – MG.

Ingressos: Inteira: R$ 20,00 meia: R$ 10,00