A Arte e a Religião

Por Rogério Salgado.

Neste sábado último, dia 14 de outubro de 2017, antes de adiantar meu relógio em uma hora por causa do horário de verão, fui ao Palácio das Artes ver a exposição “Faça Você Mesmo a Sua Capela Sistina”, do artista plástico mineiro Pedro Moraleida, que percorreu mundo, mas ao ser exposta numa capital conservadora como Belo Horizonte, levou o vereador evangélico Jair di Gregório, o mesmo que, segundo reportagem do jornal O Tempo, no passado fez dupla caipira com o nome “Jair e Jairo” e foi ao programa do saudoso Bolinha onde cantou ao lado de bailarinas  seminuas, a promover um protesto levando fiéis para a porta desta casa de espetáculos para gritarem palavras de ordem, dizendo que a exposição era pedófila e zoológica e que a tradicional família mineira não a aceitava aqui.

Dias antes, o deputado estadual João Leite também ameaçou interditar a exposição. Lá enfrentei uma fila enorme de pessoas que curiosas com tantas propagandas que esses caras fizeram, queriam também ver. Ufa! Consegui entrar…

Vi um grande artista que talvez deva ter sido oprimido pela religião e colocou ali, sua revolta em cima das igrejas opressoras e envoltas em hipocrisia através dos tempos. Vi cruzes e falos masculinos juntos em alguns quadros, mas de maneira abstrata e subjetiva que, se não fosse o estardalhaço que fizeram, juro que eu teria visto imagens confusas e seria difícil compreendê-las, mas que os conservadores mineiros levaram-me a entendê-la com mais facilidade.

Pedro Moraleida

Não vi nada demais naquela exposição além de imagens confusas, feitas por um artista aclamado pelos críticos mais experientes, como genial e que colocou sua revolta em sua própria obra.
Como artista, sou totalmente contra qualquer tipo de censura, principalmente por ter meu poema “Carta a Geraldo Vandré” em 1979, ter sido vetado pela Censura Federal e impedido de participar de uma peça teatral, poema este que rasguei em pedacinhos e por isso, nunca mais tive cópia. Por isso não gostaria de ver um poema meu atual censurado, só porque ele diz o que alguns não gostariam de ler.

Mas concordo com o que um amigo, dono de uma sapataria e evangélico fervoroso me disse: “Se esses políticos que fazem barulho e guerra contra uma exposição, buscando ganhar mais eleitores conservadores nas próximas eleições, estivessem cuidando da saúde e da educação, esta cidade e este estado estariam bem melhor de se viver, por mais exposições como essa que passassem por aqui.” Eu particularmente acho que uma igreja que estuprou a ignorância humana por mais de mil e oitocentos anos vendendo indulgências e terrenos no céu e enriqueceu um estado que é hoje o Vaticano, que outras igrejas atuais que vendem milagres e enriquecem financeiramente, também estuprando a ignorância humana arrecadando milhões em doações financeiras, não tem moral de dizer o que eu devo ou não ver artisticamente.

Davi de Michelangelo
Davi de Michelangelo Buonarroti – 1501/1504

Essa imagem de Michelangelo  com certeza seria censurada nos dias de hoje, em nome da moral e dos bons costumes.

Fui vi e achei interessante, legal.
Chega, senão dá bolo!

(Rogério Salgado)